7 de dez de 2007

A Sustentabilidade da Sustentabilidade

Definitivamente a sustentabilidade é o tema da moda. Todas as empresas de alguma forma estão estudando a implementação de ações sustentáveis. Estas ações, apesar de terem objetivos nobres não têm tido muito sucesso e eficácia. As melhorias observadas resumem-se em reciclar latinhas, fazer bolsas com sucata, plantar árvores para compensação de emissões de carbono, reciclar óleo de cozinha, separação dos tipos de lixo nas empresas e condomínios, plaquinhas coloridas pelas empresas, etc etc. Efim, hoje a sustentabilidade é um grande plano de marketing onde se faz ações de resultado inexpressivo e com grande divulgação com o intuito de obtenção de ganhos de imagem. E com isso os problemas continuam: efeito estufa, aquecimento global, aumento dos resíduos no meio ambiente, tufões, enchentes, etc etc.

As ações observadas até o momento são de caráter individual e com sucessos apenas pontuais sem impacto efetivo em nosso meio-ambiente que se degrada a cada dia. Estas pequenas ações, apesar de importantes para a conscientização das pessoas, são grãos de areia do grande deserto que se tornará o Planeta Terra caso não se faça nada mais efetivo.

O título deste texto está questionando a sustentabilidade da própria sustentabilidade pois, no formato atual, temos um programa que onera as empresas e depende da boa vontade das pessoas e empresas. Estes teriam que ser convencidos a colocar a mão no bolso para investir em algo que não lhes trará retorno imediato. Assim, creio que um programa governamental seja a base para a obtenção de um programa realista de meio ambiente e com metas tangíveis de tal forma que os avanços possam ser mensurados. Este programa deve incentivar as empresas e pessoas a adquirirem hábitos sustentáveis de tal forma que o volume de ações seja tão grande que produza algum impacto positivo em nosso meio-ambiente. E para que este programa dê certo é preciso alguma motivação...uma motivação que não seja no formato de multa.

Quando se fala em motivação do ser humano e de empresas precisa-se falar necessariamente de Dinheiro, que talvez seja o maior motivador universal. Ou seja, precisa-se vincular a evolução da gestão ambiental a um retorno financeiro que torne este investimento viável. Desta forma teríamos um Plano de Sustentabilidade auto-sustentável pela motivação financeira. Sim, simples assim...O óbvio do óbvio. Quando a sustentabilidade se tornar um bom negocio ela acontecerá de forma natural em todos os setores.

Afinal, Por que se corta árvores? Por que se desmata? Por que se polui rios? Por que..?
A resposta básica e simples é que as ações são criadas para a busca da lucratividade..este é o nosso negócio. Assim, precisamos encontrar formas criativas em nossos ramos de atuação e encotrar ações sustentáveis que se paguem , que gerem receita e que não onerem pura e simplesmente a produção sem benefício algum.

Temos que tornar a Sustentabilidade Sustentável e sair desta etapa que será lembrada como a Era da Sustentabilidade Utópica, onde a mídia promove a idéia de que tudo vai dar certo sem nenhuma ação efetiva e palpável.

Nenhum comentário: