22 de mar de 2008

Empresas crescem e compram mais equipamentos para locação




As empresas responsáveis pela produção e locação de equipamentos para a construção civil estão em franca expansão. Mas embora haja recursos para investimentos, os equipamentos estão em falta. "Não há guindastes para comprar até o final de 2009", revela Julio Eduardo Simões , diretor da Locar.


As gruas, caminhões e carretas são outros itens que estão em falta. A demanda por maquinários surpreendeu as locadoras. A Locguel estimou inicialmente um crescimento de 26%, mas se deparou com 36% no final do ano passado. "Essa era uma projeção extremamente agressiva", aponta o diretor Francisco Savassi. "Havíamos nos preparado para 2007, mas não esperávamos um crescimento tão virtuoso". Já a Locar cresceu 40% apenas no último ano e a expectativa é atingir o marco de 50% em 2008. Os resultados também foram bons para a Mecan. Segundo o gerente comercial, Renison Canesso Moreira, a empresa cresceu 120% nos últimos três anos. Operando como fornecedora e locadora de equipamentos (andaimes, elevadores e escoramentos), Moreira diz que o aquecimento do setor foi sentido de forma muito direta na empresa. "Os estoques estão baixos. Locamos o que temos, há uma ociosidade de cerca de 15%". Os três profissionais apontam que houve uma mudança no paradigma do mercado. "Havia uma oferta gigantesca de maquinário para locação, permitindo que as construtoras realizassem pedidos em cima da hora", relembra Simões. "A falta de cultura das construtoras em realizar cronogramas para a locação acaba impedindo de atendermos a todos nesse momento de grande demanda", acrescenta Savassi. Em relação aos preços, há um consenso entre as empresas de que o mercado praticou valores baixos quando a demanda era incipiente. A atual situação permitiu uma valorização do serviço e, conseqüentemente, novos investimentos. "Apesar desse cenário, o aço aumentará 12% em março e é a matéria-prima de muitos equipamentos", ressalva Moreira, que considera o atual preço ainda subvalorizado. A Mecan estima investir R$15 milhões e a Locguel R$13 milhões. A Locar investiu R$ 45 milhões para renovar seu parque de máquinas e, no final de 2007, entrou no mercado de gruas ao adquirir 26 máquinas com investimentos na ordem de R$ 30 milhões.


Por Rafael Frank, repórter da Piniweb

Nenhum comentário: