15 de jul de 2008

A Habitabilidade dos Espaços - Conforto Humano

Casa Conceito - Arquitetura priorizando o conforto


As questões relacionadas à habitabilidade dos espaços são fundamentais para colocar a satisfação do homem como um de seus principais objetivos – a Arquitetura e a Engenharia.


As questões relacionadas à habitabilidade dos espaços, especificamente aquelas referentes às condições do conforto luminoso, higro-térmico e acústico são fundamentais para atividades que pretendem colocar a satisfação do homem como um de seus principais objetivos – a Arquitetura e a Engenharia. Louis Kahn, grande expoente da arquitetura moderna internacional, já dizia: “A qualidade do espaço é medida pela sua temperatura, sua iluminação, seu ambiente, e o modo pelo qual o espaço é servido de luz, ar e som deve ser incorporado ao conceito de espaço em si”.


O conceito de “conforto”, aplicado neste contexto, pode ser entendido como a avaliação das exigências humanas, pois está baseada no princípio de que quanto maior for o esforço de adaptação do indivíduo, maior será sua sensação de desconforto.Mas o que seria este “maior esforço de adaptação”? Do ponto de vista fisiológico, o indivíduo dispõe de sistemas de percepção da luz, do som e do calor, que apesar de complexos são facilmente compreensíveis e que ditarão a menor ou maior necessidade de adaptação fisiológica do indivíduo ao seu meio ambiente.Mas o conforto ambiental não poderá ser definido somente por parâmetros fisiológicos.


As respostas humanas aos estímulos ambientes passam necessariamente por um nível subjetivo de avaliação e que em alguns casos será absolutamente definidor das condições de desempenho.Do ponto de vista do projeto, é fundamental que se compreenda como cada uma das variáveis de contexto externo (clima, topografia, entorno) e do projeto em si (partido, materiais, aberturas, cores, funções, etc.) interferem no resultado final do espaço para que nós, arquitetos e engenheiros, possamos atuar sobre este processo, obviamente objetivando sempre a sua melhoria.


Do ponto de vista da construção, a conformidade com as premissas do projeto é uma condição sine-qua-non. A normalização técnica vigente em âmbito nacional é outra condicionante importante do processo, pois regulará a produção dos materiais, dos componentes e do produto acabado – edifício. O fornecimento de produtos, pelo mercado, com cada vez maior valor agregado, aliado a processos construtivos racionais e otimizados é uma condição de garantia de qualidade da construção.Outra questão muito importante para o país é a questão da economia de energia. Ela está relacionada ao setor da construção, principalmente no que ser refere ao consumo de ar-condicionado e iluminação artificial. A primeira é diretamente dependente de um projeto otimizado do ponto de vista do conforto térmico passivo (natural). A segunda depende, por sua vez, de um bom projeto do ponto de vista do aproveitamento dos recursos da luz natural, tão valorizado internacionalmente e tão negligenciado por nossos projetistas.Estas são algumas questões que os cursos da AEA – Academia de Engenharia e Arquitetura - abordarão, sempre lançando mão de uma grande gama de exemplificações de projetos reais, nacionais e internacionais de diferentes funções e tipologias. Os cursos têm como objetivo desenvolver não só a parte teórico-conceitual das questões relacionadas ao conforto ambiental, mas abordar também a prática de problemas do dia-a-dia da arquitetura e engenharia.

Autor: Nélson Solano Vianna
Fonte: Academia de Engenharia e Arquitetura

Nenhum comentário: