6 de jul de 2008

Métodos de construção das Pirâmides

foto: Pirâmides de Gizé


Desde a época da Grécia antiga, as técnicas de construção das pirâmides têm sido objeto de amplas discussões. Poucos textos egípcios originais sobreviveram ao tempo e o nosso conhecimento sobre os métodos empregados naquela época deriva em grande parte de descobertas arqueológicas.
O primeiro relato da construção das pirâmides, neste caso da Grande Pirâmide de Gizé, foi feito pelo historiador grego Heródoto (484?-425 a.C.). Segundo Heródoto, esta pirâmide teria levado 20 anos para ser construída, por 100.000 escravos, com o uso de máquinas mecânicas. Hoje em dia, acredita-se que boa parte do relato de Heródoto seja impreciso, até porque ele visitou o Egito mais de 20 séculos depois da construção daquela pirâmide.

A construção de uma pirâmide envolvia várias etapas, incluindo o nivelamento do terreno, o alinhamento da base da pirâmide com os pontos cardeais, o corte dos blocos de pedra (e seu transporte até o local de construção) e o empilhamento dos blocos. O alinhamento da pirâmide e o mecanismo utilizado para elevar os pesados blocos de pedra são normalmente as fases consideradas mais "misteriosas", mas podem ser facilmente explicadas.

O alinhamento de uma construção em relação aos pontos cardeais ou a astros celestes não é nenhuma novidade quando falamos de estruturas antigas. Conhecimentos básicos de astronomia eram comuns a vários povos antigos, em vista de sua utilidade na agricultura ou conotações religiosas. Vários métodos simples são conhecidos para determinar a direção do norte a partir dos astros (e possivelmente os antigos usavam outros métodos nos quais ainda não pensamos) e os egípcios o faziam com um erro de menos de meio grau.

Determinar a direção do norte geográfico pode ser feito com facilidade a partir do movimento das estrelas ou do Sol. As estrelas fornecem um resultado mais preciso. Basta escolher uma estrela conveniente, marcar as direções no horizonte onde ela nasce e se põe e determinar o ponto médio entre elas. Outra opção seria basear-se em uma estrela polar, que por estar diretamente sobre o pólo permanece fixa enquanto a Terra gira. A partir da direção de referência, alinhada com o norte, a base quadrada da pirâmide era então montada usando-se novamente técnicas simples para a construção de linhas perpendiculares. Por exemplo, cordas podiam ser usadas para traçar dois círculos centrados ao longo da linha base e sua interseção definiria uma linha perpendicular à linha base.

Nenhum comentário: