17 de set de 2008

Tecnologias de fachadas leves



foto: fachada renovada com painéis cimentícios


Uma das principais diferenças entre as fachadas leves empregadas no Brasil e na Europa diz respeito à quantidade de componentes de fechamento atualmente existentes no mercado europeu. Ressalte-se ainda que os componentes europeus, antes de serem aplicados nas obras, são obrigatoriamente objetos de avaliação, especialmente das suas características de desempenho, até porque existe a necessidade de que tais componentes apresentem uma certificação (marca CE). Essa certificação foi criada em função das regras de comércio da Comunidade Européia, ou seja, os produtos da construção a serem comercializados no mercado comum europeu devem apresentar resultados de ensaios e controles conforme especificações de normas européias. Alguns dos componentes relacionados com a tecnologia de fachadas leves e que têm a marca CE são:
placas cimentícias reforçadas com fibra de vidro, ou fibras sintéticas, com acabamento incorporado;
painel composto por placas metálicas (alumínio) com miolo em poliestireno expandido ou extrudado;
placas de resinas acrílicas, cujo acabamento superficial pode imitar placas de granito;
painel com placas de vidro insulado, os quais empregam venezianas ou painéis fotovoltaicos internamente. O vidro insulado é uma combinação de vidros float simples, formando um conjunto múltiplo de placas intercaladas com gases inertes (como argônio ou criptônio). Um aspecto que tem sido amplamente explorado nos painéis de vidro insulado é a inserção de algum componente na câmara de ar, como persianas, brises e materiais transparentes que diminuam a entrada de radiação solar.
A figura 5 ilustra uma fachada renovada, cuja camada externa é formada por placas cimentícias com revestimento incorporado.


Considerações relevantes



Na Europa, diferentemente do Brasil, o mercado de renovação de fachadas é expressivo e existem normas e legislações pertinentes, além da grande quantidade e diversidade de produtos existentes, especialmente no que diz respeito aos componentes de fechamento.


Os componentes de fechamento existentes atendem a requisitos mínimos de qualidade, em função da garantia decenal obrigatória que o fabricante deve oferecer, além da marca CE, a qual garante que o componente atenda no mínimo à normalização européia vigente.


Entretanto, quando um produto de construção ainda não tem normas européias nem normas nacionais reconhecidas (produto não tradicional), este, antes de ser comercializado, deve passar por um processo especial de avaliação - ATE (Aprovação Técnica Européia). Pode-se dizer também que existem na Europa diversos consultores e escritórios de projetos especializados nesse nicho de mercado, sendo, portanto, as práticas de construção bem mais consolidadas que no Brasil.

Além disso, observa-se que uma das grandes preocupações e objetivos da renovação é, mais que a valorização do empreendimento, o incremento do seu desempenho térmico e energético, colocando-se em prática medidas que contribuem com as políticas de preservação ambiental européias.



fonte: Revista Téchne

Nenhum comentário: