8 de out de 2008

Arquitetura Diferenciada: Edifício Fidalga, São Paulo (por Triptyque)



Assimetria de layouts individualiza unidades

Reduto de artistas, intelectuais e boêmios, o bairro paulistano da Vila Madalena passa por um processo de valorização e crescimento vertical, embora ainda predominem ali as modestas residências construídas no início do século passado. Essa diversidade torna a região um cenário atraente para receber construções diferenciadas, fora dos padrões convencionais do mercado imobiliário, como é o caso do edifício Fidalga.

A partir do questionamento de modelos racionalistas, os arquitetos do escritório Triptyque buscaram harmonizar soluções e elaboraram uma proposta conceitual para um edifício-casa vertical que fragmenta os elementos constitutivos comuns e estabelece diálogo com a riqueza caótica do bairro. O prédio é dividido em dois blocos com fachadas de concreto, tijolos e vidros, interligados por um terceiro volume, que concentra a circulação vertical. Os apartamentos ocupam a totalidade da laje, o que resulta em 11 unidades assimétricas, com sete diferentes tipologias simples ou dúplex, do loft à unidade com três suítes. As metragens variam entre 80 e 240 metros quadrados, dimensão que corresponde à cobertura dúplex com terraço.

O primeiro bloco está apoiado em uma seqüência de pilares de concreto em X, abrindo lugar para o jardim, que começa ainda no espaço público, passa pelo térreo e ganha continuidade na torre de circulação vertical. O segundo volume apóia-se diretamente no solo, com um apartamento térreo. Para individualizar as unidades, a proposta arquitetônica estabeleceu posicionamentos diferentes para as varandas e criou um jogo de aberturas livre de modulações repetitivas, recursos que também dinamizaram e tornaram mais atraentes as fachadas. Todos os apartamentos são privilegiados por vistas panorâmicas e farta ventilação natural, assegurada por aberturas em todas as faces.

Voltadas para a rua, as passarelas de circulação que interligam os dois blocos também respondem pelo acesso aos apartamentos. “As moradias serão entregues como contêineres, o que permitirá diversas possibilidades de layout para atender às necessidades específicas de cada comprador”, explica Guillaume Sibaud, um dos autores do projeto.
O edifício Fidalga é uma incorporação da Movimento Um, empresa que lançou prédios residenciais de médio porte com desenhos diferenciados, desenvolvidos por arquitetos raramente procurados pelo mercado imobiliário. O projeto está em fase de orçamento e aprovação na prefeitura. O início das obras está previsto para o primeiro trimestre de 2008.
fonte: Arcoweb

Nenhum comentário: