18 de nov de 2008

Cálculos do Six Sigma

Para dar significados aos números, os engenheiros da Motorola formularam uma escala para avaliar a qualidade de um processo baseado nos resultados desses defeitos.
No topo da escala está o Six Sigma, que equivale a 3.4 DPMO, ou 99,9997% livre de defeitos. Em outras palavras, se você tem um processo funcionando com o Six Sigma, então eliminou quase todos os defeitos, ou seja, o processo é quase perfeito. É claro que muitos processos não funcionam com o Six Sigma. Eles rodam no Five Sigma, Four Sigma ou anteriores. Veja a seguir a escala completa para ter uma apreciação dos números envolvidos.

Five Sigma = 233 DPMO, ou 99,98% livre de defeitos
Four Sigma = 6.210 DPMO, ou 99,4% livre de defeitos
Three Sigma = 66.807 DPMO, ou 93,3% livre de defeitos
Two Sigma = 308.538 DPMO, ou 69,1% livre de defeitos
One Sigma = 691.462 DPMO, ou 30,9% livre de defeitos
Como você pode esperar, realizar tais cálculos em um moderno ambiente de fabricação não é tão simples como contar alguns defeitos e apertar os botões da calculadora. O planejamento cuidadoso e a abordagem metódica são essenciais. Então, ao mesmo tempo em que os engenheiros da Motorola estão desenvolvendo a matemática, eles já estabeleceram uma metodologia de resolução de problemas permitindo que consistentemente duplicassem esses cálculos não importando o processo ou o ambiente. Essa metodologia é tanto uma parte importante do Six Sigma de hoje como dos conceitos matemáticos em que ele está baseado.
Enquanto o Six Sigma evoluía, ele se tornou fortemente associado a outras metodologias de estratégias de negócios, como a Balanced Scorecard.

Isso significa que pessoas diferentes em tempos diferentes irão definir o Six Sigma de modos bem diferentes. Alguns o descreverão como uma métrica, ou um medidor de defeitos. Outros irão descrevê-lo como metodologia, uma maneira de resolver problemas. E outros ainda o chamam de sistema de gerenciamento de negócios.

Nenhum comentário: