31 de jan de 2009

Racionalização do transporte de materiais em edificações




O transporte de materiais é uma atividade que, embora não agregue valor na construção civil, corresponde a, segundo Gehbauer (2004), aproximadamente 80% das atividades de construção. O primeiro passo para o entendimento e estudo de um sistema de transportes é a percepção de que se pode subdividi-lo em "ciclos" que, embora interajam entre si, podem ser avaliados individualmente (Souza e Franco, 1997). Quanto mais contínuo for um sistema de transportes, tanto maior a sua produtividade. Entretanto, o tamanho e a forma do que será transportado influem na escolha do sistema - Limmer (1997). Conforme Barros (1998), o estudo dos sistemas de transporte pode ajudar na sua otimização, no desenvolvimento de novas soluções ou, finalmente, na quantificação de vantagens associadas à adoção de um novo equipamento frente a uma solução tradicional.


Apresentação da obra estudada: o cenário de estudo de caso em uma construção de edificação multifamiliar, localizada na cidade de Curitiba. O edifício analisado prevê 11 apartamentos, distribuídos em garagem, térreo, apartamento-tipo, apartamento dúplex e cobertura. O apartamento-tipo possui um total de 178 m2 de área.

As fotos 1 e 2 (acima) - mostram as situações atual e racionalizada para o transporte de argamassa. Com simples modificações de lay-out e remoção de obstáculos observou-se ganho de 14,49% no tempo de transporte.
As fotos 3 e 4 (acima) - mostram as situações atual e racionalizada para o transporte de blocos. Com as mesmas soluções focadas em lay-out observamos ganhos de 36,56%.
A minimização de atividades que não agregam valor (como o transporte de materiais) é um dos princípios da construção enxuta.


Nenhum comentário: