7 de fev de 2009

LOUISIANA SUPERDOME - Considerações de Projeto




A fim de atender às diversas exigências, uma cúpula esférica demonstrou ser a solução estrutural mais conveniente para a cobertura. Esta permitiria a ausência de pilares no campo e um pé-direito mais alto para os jogos de baseball, adequando-se às necessidades do esporte sem comprometer a iluminação.
Ventos de até 240 km/h provocados pelos furacões nesta região dos Estados Unidos deveriam ser levados em conta no projeto. Modelos reduzidos da estrutura foram submetidos a ensaios em túneis de vento, medindo pressões críticas em 180 pontos (Fig. 8). A gôndola do placar pendurada no centro da cúpula (Fig. 9), além de ser usada nos sistemas de som, iluminação e imagem, pesa 75 toneladas e funciona como contra-peso nos casos em que a estrutura é submetida a forças para cima decorrentes da sucção provocada pelo vento, como no caso dos furacões.
Fabricada e montada pela American Bridge Company, a estrutura metálica do Superdome atinge 82,3 metros de altura e sua cúpula possui 207,3 metros de diâmetro. A estrutura da cúpula é formada por seis anéis e seis arcos radiais principais formados por treliças, com altura de 2,23 metros. A figura 10 mostra um desenho esquemático da cobertura vista por cima e a figura 11 mostra a estrutura em treliça de um dos arcos. Os anéis e os arcos são interligados por meio de nervuras metálicas em forma de diamante, preenchendo a superfície da cobertura. A função dos anéis, sujeitos à tração, é comprimir diametralmente a cúpula, conferindo-lhe rigidez e forma.
O anel de base apóia-se sobre a estrutura inferior do estádio por meio de 96 pêndulos de 2,45 metros de altura. Estes pêndulos são articulados nas duas extremidades por meio de pequenos eixos posicionados paralelamente ao anel, permitindo o movimento dos pilares para dentro e para fora da estrutura. Assim, a cúpula pode sofrer efeitos térmicos de dilatação e contração de até 15 cm, deslocando-se independentemente da estrutura inferior.

Nenhum comentário: