7 de fev de 2009

A Ponte Golden Gate - EUA (1937)



A ponte Golden Gate, localizada na entrada da baía de São Francisco (EUA), é considerada um marco na construção de pontes pênseis. Concluída em 1937, com o maior vão até então atingido, 1.280 m, a ponte manteve o título de a mais longa do mundo até 1964, ano em que foi inaugurada a ponte Verrazano Narrows (NY), com 1.298 m de vão.

Apesar de hoje ser difícil imaginar São Francisco sem a ponte Golden Gate, na época de sua construção muitos duvidavam do seu sucesso. Fatos como a devastação causada pelo terremoto de 1906, a Primeira Guerra Mundial e a oposição daqueles que acreditavam que tal obra comprometeria a beleza da baía de São Francisco deixavam as pessoas inseguras em relação à ponte.

Além da falta de apoio da população, outro grande desafio encontrado para a realização dessa ousada idéia foi o projeto. Enquanto o clima e o risco de terremotos exigiam uma estrutura rígida e segura, a intensa navegação existente na região exigia um grande vão livre. Além disso, o local necessitava de uma arquitetura que correspondesse à sua beleza natural.

Dentre várias propostas, a que mais agradou foi a do veterano em pontes Joseph B. Strauss , que foi escolhido como engenheiro chefe da obra. Ele e seu principal assistente, Charles Ellis, sugeriram como solução uma ponte com 27,4 m de largura suspensa por cabos de aço e por duas torres de 227,4 m de altura. De acordo com o projeto, as torres, cada uma constituída por um par de colunas verticais ligadas por vigas horizontais, deveriam distar uma da outra 1.280 m, vão jamais alcançado antes.

Embora o projeto tenha sido aprovado pelo Departamento da Guerra em dezembro de 1924, os inúmeros processos contra a execução da ponte e a crise de 1929 adiaram o início da obra para janeiro de 1933. Iniciada a construção, começaram a surgir algumas dificuldades construtivas. A fundação da torre sul, por exemplo, tinha como melhor posição um local situado a 335 m da praia, a uma profundidade de 30 m. Para resolver este problema, a equipe de Strauss teve que construir, neste lugar, uma rocha artificial de concreto para servir como base da torre (ver figura ao lado). Já a torre norte, construída sobre uma rocha próxima ao penhasco de Marin, a apenas 6 m de profundidade, não apresentou grandes problemas.



Nenhum comentário: