20 de mar de 2009

A avaliação de desempenho ambiental do novo estande da loja Ferrari-Maserati Via Europa, em São Paulo (SP) - Considerações Finais


Considerando as condições de distribuição de temperatura e velocidade do ar dos diversos sistemas de condicionamento de ar (insulflamento pela passarela, pela passarela mais cortinas de ar nas fachadas, e pelo piso), concluiu-se que o sistema mais eficiente, tanto do ponto de vista de maximização das situações de conforto térmico quanto do ponto de vista energético é o de insuflamento pelo piso, pois possibilita maior homogeneidade na distribuição de temperatura e velocidade de ar, causando ainda desejada estratificação de temperaturas, condicionando-se assim apenas as áreas efetivamente ocupadas pelos usuários (Figuras 5, 6 e 7).A passarela e a escada, devido à estratificação do ar, passaram a necessitar de isolamento do ambiente do salão de exposição de automóveis, realizado por meio de fechamento envidraçado, para que o sistema de condicionamento de ar desses ambientes fosse mais eficiente, uma vez que se têm valores de temperatura do ar mais elevados na porção superior da edificação. Ressalta-se que, devido à atipicidade das condições ambientais do projeto, configurando-se um ambiente interno peculiar, com altas temperaturas radiantes e ainda a possibilidade de incidência solar não só através de fachadas, mas também através de partes da cobertura, requer-se alto desempenho do sistema de distribuição de ar. Assim, o sistema de insulflamento pelo piso mostra-se ainda mais eficiente, pois consegue obter satisfatórios resultados de conforto térmico através da distribuição adequada das velocidades do ar (regime de deslocamento, não turbulento) e ainda eficiência energética através da distribuição adequada de temperaturas do ar (regime de estratificação, não uniformemente condicionado).A situação apontada como otimizada na relação entre conforto e energia necessita de uma área aproximada de 9m2, distribuída em nove grelhas de aproximadamente 1m2 cada, as quais estarão localizadas sob os automóveis. O ar deve ser insulflado (saída da grelha) a uma velocidade não menor que 1/ms à 17ºC no caso de verão, e a 0,5m/s à 19ºC no caso de inverno (em ambas as estações, está se considerando situações de céu claro). As grelhas terão duas direções, sendo as aberturas direcionadas para o sentido longitudinal dos veículos. Visando liberdade de layout, tem-se a adoção de piso elevado modulado, e a preferência por um sistema de plenum em vez de sistema dutado, permitindo-se assim o fácil reposicionamento das grelhas segundo as necessidades de reposicionamento dos automóveis. Por fim, para aumentar a eficiência energética do sistema foi especificada a utilização de sistema de controle através de sensores de temperatura do ar e temperatura radiante e de sensor de CO2. Os sensores de temperatura do ar e temperatura radiante devem idealmente estar posicionados na altura do usuário (1,10m). Devido à estratificação de temperatura do ar, é possível posicioná-los em outra altura, com pequena perda de precisão. É importante atentar sempre para a existência de cargas radiantes diferenciadas caso o conjunto de sensores seja alocado em altura diversa (sistema de iluminação ou outra fonte emissora de calor). Esses conjuntos de sensores estarão localizados pelo menos em dois pontos da edificação, um na porção Norte do salão e outro na Sul. Com relação ao sensor de CO2, esse é comumente colocado no retorno. Os sensores de CO2 e de temperatura colaboram com a eficiência energética na medida em que permitem a automatização respectivamente do controle de temperatura do ar para taxa de renovação do ar para salubridade e para conforto térmico.Tratando-se da operação desse sistema, é chamada atenção para a influência, além da temperatura do ar, da temperatura radiante na sensação térmica do usuário. Para o controle das condições de conforto térmico, propõem-se então uma programação para a automação predial do ar condicionado, monitorada por sensores internos, tomando como base o efeito combinado das variáveis citadas.No desenvolvimento das análises realizadas, destaca-se a importância do auxílio de ferramentas de simulação computacional, como parte de uma metodologia que visa maior eficiência e menor impacto ambiental do ambiente construído. Dando continuidade às definições conceituais da arquitetura e dos sistemas prediais e às avaliações qualitativas, o uso de software para a realização das avaliações técnicas e quantitativas dos aspectos ambientais do projeto confere maior rapidez aos testes de diversas soluções de projeto e apresenta recursos para visualização dos resultados. São com essas bases qualitativas e quantitativas que foram desenvolvidos os trabalhos desta consultoria de conforto ambiental e eficiência energética.

Crédito:Leonardo Marques Monteiro (1)Joana Gonçalves (2)Daniel Costola (3)Alessandra Shimomura (4)Laboratório de Conforto Ambiental e Eficiência Energética do Departamento de Tecnologia da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (LABAUT/FAUUSP). (1) Pós-Doutorando, (2) Prof. Dra, (3) Mestre, (4) Pós-Doutoranda



Nenhum comentário: