1 de fev de 2010

O que gera bons resultados?

foto: Equipe Astana de Ciclismo - vencedora do Tour de France 2009

Umas das maiores responsabilidades da alta administração é a definição de metas e objetivos para o negócio. Para fazer prosperar a empresa e melhorar os resultados, a alta administração estabelece metas e objetivos, frequentemente ambiciosos, para com isso “puxar” a organização e estimular e motivar as pessoas a fazerem melhor. Tais diretrizes são desdobradas para o restante da organização e a sua evolução tende a ser acompanhada periodicamente.

Em nosso leanmail de abril de 2009, intitulado “Cuidados com a gestão por indicadores”, destacamos os equívocos que se cometem ao focalizar a gestão nos números exclusivamente. Após receber diversos comentários, decidi voltar ao assunto procurando clarificar este tema.

Nos nossos trabalhos com a alta administração das empresas, buscando avançar na jornada lean, procuramos enfatizar o papel dos líderes na transformação e um dos aspectos mais relevantes que mostramos é a importância do “genchi genbustu”.
Mas o que é o genchi genbtsu? Para que serve? Porque é importante? Qual a sua relação do com a conquista de resultados?

“Genchi Genbutsu” significa literalmente o local real (“genchi”) e as coisas reais (“genbutsu”). Implica que as pessoas devem ir até o local onde as coisas acontecem e serem capazes de analisar e entender profundamente o que está acontecendo. É uma maneira de se envolver pessoalmente e diretamente com os processos reais e com os problemas reais.

A famosa frase da Taiichi Ohno “dados são importantes, mas dou maior ênfase aos fatos” está ligada a isso. Para saber os fatos, você precisa ver por si próprio com olhos críticos. Indicadores, números ou dados são meras representações do que acontece na realidade.

Se você não aceita as conclusões de alguém ou um relatório enviado por um colaborador como verdade, significa que você não confia nele/nela? Em absoluto. Entender a situação é mais fácil quando você se baseia em fatos verificados pessoalmente.

No sistema lean não interessa atingir somente os resultados. Interessa o processo pelo qual o resultado será atingido. O lider lean não deve dar a solução (o que tiraria a responsabilidade dos responsáveis pelo processo) nem deixar que eles resolvam como quiserem. Junto com os responsáveis, deve ir ao gemba para fazer perguntas até estar convencido que o responsável pelo processo cientificamente (PDCA, identificando o problema e causas, envolvendo as pessoas certas etc) tem uma boa proposta de como atingir os objetivos.

Mudar o comportamento, as atitudes, as rotinas e as práticas das pessoas é uma das chaves da transformação lean. Assim, o que gera bons resultados são os processos sólidos e robustos com pessoas envolvidas e motivadas, que aprendem continuamente e ajustam seus planos de ação de acordo com a necessidade e focalizam naquilo que é relevante do ponto de vista dos clientes.

José Roberto Ferro
Presidente
Lean Institute Brasil

Nenhum comentário: